20 de jun de 2011

Um professor não deveria fumar

Cigarro_proibidoLá estava eu no meu intervalo de 15 minutos, fumando meu cigarrinho do lado de fora da escola (como um pária, após a lei que proíbe fumar em edifícios públicos) quando a mãe de uma aluna (que não é minha aluna e só conheço de vista) me sai com essa:

- Uma professora não deveria fumar.

Contei até dez, cem, mil… Falar palavrão também achei que não ficaria bem, então respondo bem séria:

- Quando estou dando aula não fumo.

Isso pra ver se ela se tocava de que – mesmo sendo professora – também tenho direito a uma vida pessoal como “os outros” seres humanos, e se fumo ou não fumo é problema meu.

Não se deu por achada e aí veio o pior:

- Mas é um péssimo exemplo para os alunos.

Aí eu perdi a paciência de vez, mas mesmo assim não desci do salto (que por sinal é baixinho, baixinho, pra nivelar bem por baixo mesmo não custa nadinha):

- Minha senhora (suspiro profundo – paciência, minha filha, não te disseram como é a vida de professor?) se o seu filho, que passa a semana toda com a senhora resolve imitar um professor que passa apenas 2 horas semanais com ele há algo errado, mas não é na escola.

Com a indignação dos que se julgam ofendidos porque não encontram argumentos lógicos para dar suporte à discussão que eles mesmos iniciaram, ela virou-se e foi embora.

O Eminem é quem tem razão. Quando foi criticado porque falava palavrão em suas músicas porque era um mau exemplo para os jovens, foi bem taxativo:

- Quem tem que educar seu filho é você, e não eu. Não tenho essa missão. Na minha casa palavrão é proibido, nem eu nem meus filhos os falamos.

Pois olha, “tirou daqui, ó”! É engraçado que certas pessoas que se julgam “pais” só porque botaram filho no mundo e só não são mais omissos por falta de grana pra matricular os filhos em mais um curso ou atividade que os mantenha o máximo tempo possível fora de casa – já que eles também não ficam por lá – acham que é papel do professor dar formação moral, religiosa, etc. aos filhos deles.

Eu já tive, criei e eduquei 5 filhos meus, que agora estão adultos, e bem ou mal eu os eduquei. Não me omiti com a desculpa de que “não tinha tempo” para ser mãe deles. Não assumi e nem quero a responsabilidade de criar filhos alheios. Quem pariu Mateus que o balance. E de quebra que o eduque também. Se os pais não forem omissos e se derem ao trabalho de conversar e orientar seus filhos, garanto que eles não irão seguir a primeira pessoa que dê a eles um mínimo de atenção ou afeto.

O dia em que eu fizer apologia do cigarro dentro da sala de aula podem me crucificar, que será justo. Mas enquanto eu me reservar o direito de viver minha vida pessoal fora do meu horário de trabalho, que não me venham transferir os compromissos que eles mesmos assumiram quando se dispuseram a ter uma família.

Fundo marron

Ratings by outbrain