8 de nov de 2009

A aluna Geisy foi expulsa da Uniban!


Ainda não havia me manifestado a respeito, mesmo porque vi o caso da aluna que foi ameaçada e agredida verbalmente por 700 "estudantes universitários" e que teve que ser escoltada pela polícia para sair em segurança da escola meio por alto.

Hoje comentando o caso com minha filha fui ver as reais proporções do acontecido e mais uma vez a mulher é "promovida" do papel de vítima à criminosa. Continuam os machistas de plantão alegando que a forma como a mulher se veste ou se porta, se é bonita, "gostosa", desejada pelos homens e invejada pelas mulheres, lhes concede "direitos" de agirem como animais.

Não, porque aquilo foi um "linchamento verbal" que só não virou linchamento de verdade porque a polícia interveio, tendo usado inclusive spray de pimenta contra os trogloditas que a insultavam com palavras de baixo calão e se amontoavam à porta da sala de aula onde ela estava pedindo ao professor que saísse da sala ou que a liberasse para ir ter com eles.

Santa ela certamente não é, as santas que eu saiba estão no céu e mortinhas da silva. Mas sendo ela quem for e tendo o comportamento que tiver, certamente isso não é desculpa para que os trogloditas de plantão (os mesmos que se degladiam à saída dos estádios de futebol e saem nas pancadas e tiros porque seu time perdeu ou ganhou) resolveram que daquele dia não passava.

Muito devem ter se roído de vontade de "possuí-la" (como chamam os machistas o sexo) e devem ter morrido de frustração por não conseguir o troféu que atestasse sua macheza frente aos colegas da matilha à qual pertencem. Aqueles que estão também nesse meio mas por outros motivos devem ter se roído de inveja da mona que monopolizava os olhares e desejos dos seus "bofes".

Seja como for, se a garota usava roupas que não eram adequadas já a algum tempo, como alegou o advogado da universidade, seria dever da própria universidade chamá-la e avisá-la de que suas roupas ou seu comportamento não eram adequados. Se não tomaram conhecimento foi um ato de omissão, que foi o principal culpado de as coisas terem chegado onde chegaram.

Expulsando a aluna demonstram de forma clara que é muito mais interessante expulsar apenas um aluno pagante (e sanar o problema da forma mais rápida e estúpida possível) do que penalizar 700 animais irracionais que pagam suas mensalidades na tal "instituição de ensino superior".

Se esse é o nível dos tais "alunos de nível superior" tenho medo de pensar nos outros, pois se estes que têm acesso á informação, ainda carregam dentro de si essa forma arrogante, estúpida e machista de enxergar a mulher, se estes jovens que em breve terão o diploma de curso superior agem de forma tão desrespeitosa quanto aos direitos de seus semelhantes, se eles se veem no direito de fazer o que fizeram, de recorrer à violência e selvageria à qual recorreram por causa de uma aluna bonita que desfilava sua beleza em roupas provocantes, de que mais se julgarão no direito de fazer? Matar o vizinho que faz barulho à noite? Depredar a escola? Sequestrar um professor que lhes "deu" nota baixa?

Infelizmente a escola, que deveria ser uma instituição de ENSINO mostrou que na verdade é apenas uma EMPRESA QUE POR ACASO VENDE INFORMAÇÃO, mais interessada em seus ganhos e em manter aparências a qualquer custo que em propriamente ENSINAR qualquer coisa que valha a pena ser aprendido.

Na verdade expulsando a aluna eles não resolvem o problema, o verdadeiro problema não é a aluna, não é o vestido dela, nem sua beleza. O problema - que permanece na escola, agora com o respaldo da mesma - são os 700 animais que publicamente e de forma aberta e despudorada desrespeitaram o direito de um cidadão de estudar, de frequentar as aulas do curso pelo qual pagou.

Amigos, se roupa inadequada fosse mesmo motivo pra tanta confusão e até para se expulsar aluno da escola, ainda mais uma escola como essa que demonstra tão reduzido interesse em EDUCAÇÃO, ENSINO e coisas do gênero, que tal implantar lá um estúdio com um consultor de moda? Assim as outras alunas que ainda estão na escola não correriam o risco de serem linchadas por seus coleguinhas, aparentemente tão preocupados com moral e decência, tão engajados em patrulhar a forma como as outras pessoas se vestem e se comportam.

O que me revolta é a hipocrisia desses falsos moralistas, que se atrevem a apontar o dedo para outros, partir para a violência, violar direitos, provocar tumultos e depois não sofrem a consequência de um comportamento tão infantil, injusto, baixo, hipócrita. E o pior é a faculdade compactuar com semelhante balela, uma tremenda mentira em nome de um falso moralismo, lobos predadores vestindo pele de defensores da moral e da justiça, bah!

Para pessoas desse tipo, só um conselho: get a life!



Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Ratings by outbrain