21 de jan de 2009

Você lê o manual de instruções?


Sempre que compramos um aparelho novo, lá está bem debaixo de nossas fuças: 'consulte o manual de instruções antes de usar'. Mas porque é que ninguém lê? Será que é porque quem escreveu não tinha a mínima intenção de explicar nada? Sabe aquela frase famosa: 'eu não vim para explicar, vim para confundir'? Pois se ajusta como uma luva aos ditos manuais.

Ou você tira um fim-de-semana para decifrar o manual antes de ligar o aparelho ou aprende a lidar com ele como a maioria dos outros mortais, na base do ensaio e erro, e acaba não usando 50% das possibilidades do seu aparelho.

Eu tive um vídeo-cassete (ainda existe vídeo-cassete?) que tinha um monte de comandos, se bobeasse e a gente pedisse ele era capaz até de fritar um ovo, mas durante toda a sua vida útil o que eu fui capaz de fazer com ele foi enfiar uma fita de vídeo (ele começava automaticamente), ir pra frente e pra trás e parar. Meus filhos ainda usavam a câmera lenta, mas era apertando uma sequência de botões que eu nunca consegui lembrar quais eram quando eu precisava, então nunca usei. Um mês antes dele quebrar descobri como programar os canais da antena parabólica por eles e já estava até conseguindo chegar a um acordo sobre como programar pra gravar um determinado programa (isso presumindo-se que as emissoras brasileiras passassem os programas nos horários que estão previstos para irem ao ar), quando ele quebrou.

Aí vieram os aparelhos de DVD, com centenas de recursos. O máximo que eu sei fazer no meu é a mesma coisa, ir pra frente e pra trás, selecionar uma cena, selecionar legenda e som. E pra que mais, né? Se eu for olhar no manual já sei que vai ter um monte de explicação para apertar trocentos botões e vá para a página tal para configurar não sei o que. Aí você descobre que pra programar o não sei o que o não sei que mais tem que estar em estado de espera. E tome 'para botar o não sei o que em estado de espera, consulte a página...' Ai, meu saco!

Será que quem escreve o manual é um ser humano normal? Li uma vez que fizeram uma experiência nos EUA (eles adoram essas experiências idiotas que não levam a nada) e chamaram um engenheiro da NASA, daqueles que projetam foguetes, pra programar um relógio e acredita que ele ficou uma hora pra programar - e lendo o manual? Pois é, acho que pra entender esses manuais tem que ter no mínimo doutorado em física quântica ou engenharia eletrônica.

Pior é que a maioria das pessoas faz como eu, desiste e usa só as funções principais. Mas eu paguei pelos recursos que não estou usando, então esses manuais estão boicotando meu direito de usufruir de algo que eu paguei. Um manual devia por isso mesmo vir escrito em velho e bom português, não conter siglas nem nomes técnicos nem esses nomes que eles inventam para os aparelhos deles. E isso porque eu entendo inglês, imagina quem não entende. Eu até imagino o que seja 'source select' mas o que diabos seria 'Ch-level'? Eu até imagino mas cadê a coragem de apertar o botão e descobrir?

Acho que eles deviam fazer botões que funcionassem por si sós, é um saco descobrir que para botar minha TV em soneca eu vou ter que entrar em 3 menus e apertar vários botões até chegar onde eu quero! E meu home theater tem mais funções do que supõe nossa vã tecnologia. E será que algum mortal sabe usar tudo aquilo, além do técnico que criou e do idiota que escreveu o manual?



Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de deixar sua mensagem, por favor leia nossa Política de Publicação de Comentários.

Ratings by outbrain