8 de jul de 2008

Será que ninguém faz nada direito?

Toda vez que a gente pede um serviço, nunca sai do jeito que a gente pede. Por mais que a gente explique, quando recebemos o serviço ele nunca está da forma que foi combinado. Entre o seu primeiro contato com a pessoa que te vende o pacote de internet ou Tv por assinatura, até chegar à sua casa, a coisa passa pelas mãos de diversas pessoas, mais ou menos incompetentes, que não estão nem aí pra você (esquecem que é você que paga o salário delas) e o descaso faz com que ao receber o produto ele não seja o que você contratou, nem de longe.

A fatura - essa sim! - chega pontualmente, e vá você não pagar pra ver. Mais cedo ou mais tarde tudo dá problema e aí é que você vai ver se a empresa prestadora de serviço que você escolheu é tudo aquilo que alardeou ou apenas um punhado de incompetentes juntos pra botar sua paciência à prova.

Quando Deus estava distribuindo virtudes para os seres humanos eu entrei tantas vezes na fila da compulsão (no fim já entrava sem querer entrar, assim de forma compulsiva, sabe?) que quando resolvi entrar na fila onde distribuíam paciência só tinha lá uma raspinha no fundo da panela. Vai daí que contam com essa sua falta de paciência, achando que você vai desistir do que contratou, cansado de ligar tantas e tantas vezes falando com gravações que te mandam apertar tudo quanto é botãozinho do seu celular pra falar com alguém que seja humano. Mas isso não significa que o ser que vai te atender tenha um cérebro maior que o de uma ameba, veja bem. Aí já seria pedir demais.

E nem é com ele que você tem que falar. Aí você vai sendo transferido de um a outro (ah, que bom se o meio-campo brasileiro soubesse transferir a bola com tal eficiência...) e enquanto isso vai ouvindo aquela musiquinha irritante que eles botam lá apenas pra que você se canse e desligue.

Mas você não desliga. Quer MESMO resolver seu problema. Se conseguir, tudo bem, valeu a pena as horas amargas passadas com o telefone grudado no ouvido escutando aquele refrão miserável "por favor, não desligue, sua ligação é muito importante para nós".

Faz o seguinte: compra um revólver e mata o próximo que trouxer alguma coisa que não é o que você pediu e nem funciona do jeito que você quer. Aí você vai pra cadeia, de lá para o presídio. Que eu saiba, lá os celulares e aparelhos eletrônicos funcionam que é uma maravilha, nunca ouvi ninguém reclamar.

(zailda coirano)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de deixar sua mensagem, por favor leia nossa Política de Publicação de Comentários.

Ratings by outbrain