21 de mai de 2008

Argentino que raptou e engravidou a filha é condenado a 16 anos de cadeia

O argentino de 74 anos que manteve a filha presa por mais de dez anos e a engravidou foi condenado nesta terça-feira a 16 anos de prisão, revelou a Justiça.

O caso, que lembra o de Josef Fritzl, o austríaco que recentemente confessou ter estuprado a filha e a mantido em cativeiro durante 24 anos, ocorreu no populoso distrito de La Matanza, onde há amplos bolsões de pobreza.

Eleuterio Soria, atualmente com 74 anos, foi condenado a 16 anos de prisão por abuso sexual agravado.

Segundo a Justiça, a filha de Soria foi estuprada dos 11 aos 22 anos, e teve dois filhos, de 7 e 14 anos.

O calvário da jovem terminou há 11 anos, quando conseguiu escapar e contar seu caso à polícia, revelou o promotor Sergio Antín.

A vítima, cuja identidade não foi revelada, vive hoje com um companheiro e tem outros dois filhos.

O caso Fritzl chocou o mundo em 28 de abril passado, quando o austríaco, de 73 anos, confessou ter aprisionado a filha por mais de duas décadas no porão de sua casa em Amstetten, com quem gerou sete filhos.

Meu comentário

Se a moda pega vai ser um problema! Para mim é puro machismo, esses homens acham que suas filhas e esposas lhes pertencem e podem fazer o que bem quiserem com seus corpos e suas vidas.

Acho que esse sentimento de onipotência é originado da forma machista com que vêem suas famílias: consideram-se verdadeiros reis, sua palavra e sua vontade são leis e são completamente indiferentes às leis e costumes da nossa sociedade. Passam por cima da moral e dos valores que os outros seres humanos cultuam, consideram-se acima do bem e do mal, para eles meras palavras sem significado.

Seria isso uma sociopatia? Uma doença mental? Não sou especialista, mas pessoas como essas em minha opinião deveriam ser mantidas em cativeiro porque decididamente não estão aptas a viver em nossa sociedade porque sua indiferença aos nossos valores, seja doença ou não, os torna capazes de praticar as maiores atrocidades, destruir a vida de outras pessoas, criando horrores como esses noticiados insistentemente pelos meios de comunicação.

Se são doentes, sanatório. Se não o são, cadeia neles.

(zailda coirano)


2 comentários:

  1. Concordo plenamente com vc...que distorção absurda de caráter é essa que faz com que uma pessoa, aparentemente normal e até mais caridosa e disponível que os outros possa ter uma segunda personalidade, como o médico e o monstro? Será o prazer sórdido de enganar todo mundo e ter um "segredo" que lhe causa um ,no mínimo ,estranho prazer?
    Sei lá, tento entender,mas não consigo.
    Só sei que fico chocada, revoltada e impotente diante de tanta barbaridade.
    Seu blog é muito legal. Parabéns!
    Visite o meu:
    www.pensamentossaudaveis.blogspot.com, beijos.

    ResponderExcluir
  2. Acho que pessoas assim na verdade não são boas e têm uma segunda personalidade. Na verdade são monstros que durante uma parte do tempo enganam os outros se fazendo de "normais", coisa que nunca foram.

    ResponderExcluir

Antes de deixar sua mensagem, por favor leia nossa Política de Publicação de Comentários.

Ratings by outbrain